Os Abençoados

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Romanos 9:1-18



Os capítulos 1 a 8 nos lembram a história do filho pródigo : seu pecado havia abundado, mas a graça havia superabundado. Vestido com um manto de justiça, ele não se tornou um empregado na casa paterna, mas daquele momento em diante usufruiu um relacionamento livre e pleno com seu pai (Lucas 15:11-32).

Do capítulo 9 até o 11, o assunto será tipificado pelo filho mais velho, ou seja, o povo judeu, com seus privilégios naturais e também com sua inveja. Tal qual o pai naquela parábola, o apóstolo deseja que Israel entenda o que é a graça soberana. Ela não está ligada às vantagens hereditárias. Todos os descendentes de Abraão não eram filhos da promessa. O profano Esaú, por exemplo, apesar de ser irmão gêmeo de Jacó, não pôde herdar a sua parte da bênção. Deus pronunciou a respeito dele a terrível sentença: "Porém me aborreci de Esaú" (v. 13). Será que Seu amor acabou antes de todos os outros recursos? Basta pensar nas lágrimas de Jesus sobre a Jerusalém corrompida (Lucas 19:41), dor que encontra eco pungente nas palavras do apóstolo dos versículos 2 e 3. Reafirmamos: não são os direitos de nascimento que asseguram a salvação pela graça. E isto é endereçado especialmente a vocês, filhos de pais cristãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Participe e ganhe!

Nos Acompanhe!

Facebook - Curta nossa Página…

Tecnogospel

Missões e Evangelismo

Vivos! O site da fé Cristã!

Publicidade

Divulgador

Publicidade